sábado, 13 de dezembro de 2008

vamos continuar a votar nos mesmos?

Hoje é Sábado.
Acordei tardíssimo e tinha um Alfa Pendular para apanhar em direcção ao Porto. Cheguei à tabela. Mas cá estou eu. São 9 da manhã, chove na minha janela e sigo nos carris a 187 Km/h. Liguei o portátil e vejo na Tsf on-line que um deputado do PSD, Guilherme Silva, defende o fim dos plenários da Assembleia da República às sextas-feiras.
Segundo sei, a Assembleia da Republica funciona a meio gás às segundas-feiras para que os deputados possam desenvolver trabalho político nos círculos eleitorais pelos quais foram eleitos. Se entretanto houver a indecência de suspender os plenários às sextas, sobram três longos dias de trabalho árduo. Fantástico, não acham?
Eu defendo a redução do número de deputados na assembleia, porque num país que chegou a este estado, não se percebe que se gaste o que se gasta com tanta gente, que na generalidade não traz nenhuma mais valia para o futuro da nação.
Achei particular graça às declarações de Almeida Santos ao comentar a notícia da TSF. Diz o senhor que se paga mal aos deputados, e que como a maioria tem julgamentos e obrigações paralelas à Assembleia, era preferível que deixassem de existir plenários à sexta. Juro que ouvi isto. O som está aqui!
Um tipo às vezes ouve cada coisa…
Sendo assim, eu sugiro mais! Reduzam os plenários só para a um dia, tipo terça, e reduzam também os vencimentos dos deputados que nos representam. Só assim poderão ter tempo para as suas famílias e para os seus empregos a sério.
E o texto fica por aqui… apesar de me apetecer escrever mais umas quantas coisas.